02/06/2014

Moulin Rouge – La Goulue


 Moulin Rouge – La Goulue foi o primeiro trabalho litográfico de Henri de Toulouse-Lautrec, em Dezembro de 1891, três mil exemplares do cartaz foram colocados nas paredes de Paris. Foi impresso na oficina de Charles Levy, para a criação deste cartaz, com o tamanho de 195cm x 122 cm, que acabou por ser muito maior que a pedra litográfica. Foram usadas três folhas de papel tecido, duas com 84cm x 122 cm onde a união pode ser apreciada ao nível do queixo de Valentin (o par de dança de La Goulue), e em seguida, longitudinalmente uma tira de 27 cm, no entanto essa tira desapareceu em metade dos raros exemplos nos catálogos actuais.
  Numa análise semiótica-estética podem ser destacados vários factores persuasivos (incluindo a influência no meio em que vivia):
  1. La Goulue (uma mulher) – a famosa dançarina de Cancan no Moulin Rouge, o facto de usar um artista da casa, foi algo inovador. As mulheres da França do século XIX não possuíam muitas opções. Na sua maioria casavam, constituíam família e viviam à mercê dos seus maridos, chefes da família e donos da razão. Cuidavam basicamente dos afazeres domésticos e algumas trabalhavam em tecelagens e fábricas de costura. Mas, aquelas que fugiam dos moldes tradicionais de cultura procuravam sua independência e eram totalmente liberais ao factor família, entregando-se ao mundo como meretrizes e dançarinas em casas de espectáculos. A presença das mulheres nos cartazes de Toulouse-Lautrec sinaliza a importância dessas artistas para o pintor. Apropriando-se da fama de algumas e da sensualidade de todas, Toulouse-Lautrec conseguiu despertar o desejo nas pessoas, persuadindo-as a frequentarem as casas de espectáculos de sua época.
  2. Dança (o movimento) – a dança e o movimento são factores importantes para a leitura que se desenvolve.  A especialidade de La Goulue era o Cancan, ela está no centro da pista, tendo assim um lugar destacado no cartaz, esta aparece com uma perna para cima (no ar) e as suas saias fluindo, transmitindo a ideia que ela estaria a efectuar uma performance para a audiência. Um círculo de espectadores no fundo é apenas representada como uma silhueta preta, em terceiro plano.
  3. As cores – O cartaz geralmente é visto com rapidez, por isso ele tem que ser simples e possuir um grande contraste. A cor não é apenas um elemento decorativo ou estético, a cor é o fundamento da expressão e está ligada à expressão de valores espirituais e sensuais. Ressalta-se que a cor é um elemento extremamente significativo na constituição de um cartaz, ou em qualquer outro material. A cor pode ser capaz de chamar a atenção à distância e, muitas vezes, até despertar gostos, por isso pode ser considerada um importante instrumento persuasivo-estéticos. Este cartaz sobrepõe quatro cores, a partir da pedra negra. O amarelo foi o primeiro a ser impresso, cobre o fundo, o piso e a face de La Goulue em estilo crachis (salpicos, manchas). O cabelo dela e as luzes são em cores lisas. Na segunda passagem, o vermelho, desenhado em crachis, traça o perfil de Valentin, a blusa de La Goulue e meias que são também em crachis mas muito mais denso, enquanto as letras da legenda são simples. O azul tem um papel decisivo na modulação das tintas, revestido em diferentes proporções na silhueta de Valentin, na blusa e nas meias de La Goulue, produz uma gama de violetas. Combinado com o amarelo, é modificada a luminosidade da pista de dança. Numa cor simples a negritude da audiência é intensificada e com um toque final ele (Lautrec) traz um toque de luz no olho de La Goulue. O preto, para além das letras pintadas a pincel, é usado numa simples camada sob o azul do friso da audiência e uma terceira camada em crachis é adicionada à silhueta de Valentin.
  4. Tipologias - Cada palavra possui uma forma que, dentro do contexto, de um cartaz mais especificamente, se une à imagem de forma harmoniosa e persuasiva. As duas principais intenções são chamar a atenção e facilitar a leitura. Neste cartaz o estilo de letras utilizadas é elegante e de convergência dos olhos. O nome do cabaret "Moulin Rouge" é impresso em vermelho e é visível quatro vezes no cartaz, como se fizesse uma declaração. Compondo o canto inferior esquerdo está a assinatura de Toulouse-Lautrec.
  5. Objecto em cena – Tendo em atenção a audiência representada no cartaz, o estilo de chapéus que esta usa, é um factor que indica que os frequentadores de Moulin Rouge eram predominantemente pessoas da classe média alta. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

DevRochester. Com tecnologia do Blogger.