02/06/2014

Imora - 5º Capítulo


5º Capitulo

Acheron não conseguia acreditar no que estava a acontecer, provavelmente por ter passado os últimos onze mil anos, sem ter a oportunidade de desfrutar de momentos como estes. Aliás, durante esses muitos anos da sua existência, não recebeu nenhum gesto carinhoso a não ser da sua irmã Ryssa e da sua pequena demónio Simi.
No seu âmago, ainda temia despertar e dar-se conta de que tudo não passou apenas de um sonho. Apertando mais o seu filho nos braços, aconchegou-o no seu colo, o perfume dos cabelos de Soteria, eram como beijos ao seu nariz. O cenário com que se deparava era perfeito ou melhor,quase perfeito.
No sofá ao lado estava o casal Alexion, um dos primeiros Dark Hunters e a Danger, a sua mulher, uma lutadora desde os grandes tumultos franceses. Eles eram um casal sempre bem disposto e prontos a ajudar.
Do outro lado, Acheron teve que evitar um sorriso, Urian estava sentado no meio de Simi e Xirena, o antigo deamon, não parecia nada satisfeito com a disposição dos lugares. A irritação dele era palpável e era de admirar ainda não ter demonstrado o seu desagrado.
Os dois demónios estavam a comer molho de barbecue com KFC, sim era isso mesmo, havia mais molho que comida e olhavam para a grande tela da TV, como se estivessem hipnotizadas.
– Eu pensei que íamos ver um filme! – Resmungou Urian, como seria de prever, o silêncio não iria durar muito tempo.
– E é precisamente isso que estamos a ver. – Respondeu Alexion, atirando-lhe uma pipoca, que foi apanhada no ar e o olhar do Spathi podia muito bem ter morto o Sombra, caso esse ainda pudesse morrer.
– Vamos senhoras, deixem-nos ver o filme, chega de conversa – Interrompeu Ash, para evitar que Urian respondesse.
– Ouviram isso? Façam pouco barulho ao mastigar, quero ouvir! – Urian apontava para a tela, enquanto virava a sua ira para os dois demónios. – Eu não consigo ouvir com vocês a baterem com os dentes!
– Xirena,ainda há mais molho barbecue da Simi?
Afastando o olhar da tela, Xirena olha a irmã
– Diz a Xirena, que não vais comer a TV, Xirena está a gostar de ver as imagens!
– Ohh não, não e não! Simi não vai comer a TV, mas quer o molho para preparar o Urian para um belo churrasco!
– Esperem ai! – Urian interrompe a conversa, endireitando-se no sofá. – Primeiro disseram-me que iamos ver um filme! Venho a descobrir que em vez disso, são desenhos animados! E agora querem que me vire na grelha para alimentar Charontes??
Urian olha fixamente para Tory, passando as mãos pela cara em desespero.
– Diz-me Tory, como permitiste ao Ash, ter um filho contigo? Olha a educação da Simi! E podes meter as presas para dentro Simi, que eu não tenho medo de ti e tu também Xirena! Já não bastava um Charonte indomável e juntou-se outro á festa! O seu akrizinho, nem na sombra do seu traseiro manda, quanto mais no seu Charonte!
Como olhar fixo agora em Acheron, Urian continua o seu monologo revoltado.
– Continuoa achar que foi um erro trazeres-me á vida Ash, para ter que aturar isto! – O dedo de Urian percorre o seu redor – preferia estar morto! Podia estar neste momento a fazer algo mais interessante, mas não! Estou sentado no meio de duas gralhas, a ver o Shrek e prestes a ser lambuzado com molho barbecue!
Tirando Simi e Xirena, que se cansaram do que Urian dizia e a atenção das duas, voltou-se para a TV, os restantes ora tentavam não rir ou simplesmente reviravam os olhos. Era normal o Urian ter este tipo de comportamento, estranho seria não o ter, pois aquele chorrilho de queixumes já era habitual.
Urian conseguia lamentar-se mais que uma adolescente, o dramatismo também era uma das suas qualidades inerentes e ele fazia sempre intenção de dramatizar um pouco todos os dias, para não perder o hábito.
– Urian, és capaz de por um dia deixares as lamentações de lado e aproveitar o serão em família?
O Spathi continuou a lamuriar-se, mas Acheron deixou de o ouvir, em vez da voz de Urian, ouviu na sua mente a última voz que esperava ouvir, o tom grave da voz de Stryker, fez-se ouvir.
“Acheron, preciso de falar contigo!”
“O que queres Stryker?”
“É sobre Apollymi...”
“Não me enganas com os teus truques!”
“Não te estou a enganar, não é do meu agrado ter que falar contigo, mas é necessário!”
“E é muito menos do meu, espera um minuto.”
Com a sua atenção focada novamente na sala, encontrou todos os olhares pregados em si.
– Achimou, estás um pouco pálido, o que se passou?
Olhando de novo em volta, debateu a ideia de contar ou não o que tinha acabado de ouvir, mas preferiu saber mais pormenores antes de lançar o alerta e preocupação entre todos. Dando um beijo na testa de Soteria, ergueu-se nos seus plenos dois metros, dizendo-lhe que já voltaria para a companhia de todos. Caminhando para fora do salão, manteve-se parado de frente para uma das grandes janelas do palácio de mármore. Precisava de saber se Apollymi estava bem, decidido, chamou por ela.
– Matera?!
Apollymi não respondeu a nenhum dos seus chamados, ficando preocupado, porque a deusa, nunca ignorava quando a chamava,decidiu recorrer á única pessoa, que desejava não ter que falar.
“Stryker, que merda aconteceu? Apollymi não me responde e bloqueou-me os poderes!”
“Foi por isso mesmo que substitui Hermes e estou a falar contigo neste preciso momento!”
“Começa a falar!”
“Não é isso que estou a fazer?”
“Stryker! Não abuses da minha paciência!”
“Se queres saber de mais pormenores, marcamos um encontro, não vou explicar isto por pensamentos!”
“Esta noite e vou acompanhado!”
“Não esperava outra coisa, sabes o local, até lá!”
Voltando ao salão, Acheron olhou em volta para o rosto de todos os que amava, tentando manter um olhar calmo, respondeu aos olhares preocupados.
– Stryker quer encontrar-se comigo esta noite.
Em resposta a essa frase, todos se meteram em pé, prontos para a luta, mas Ash com um sinal de mão, dispensou o intento.
– E vocês ficam aqui!
– Simi nunca pode fazer nada, Simi não pode comer os humanos, Simi não pode comer a deusa cabra, agora akri diz que Simi não pode comer esse daimon mau. – depois de enumerar o que lhe desgostava, o demónio cruza os braços com um olhar zangado.
– Percebi agora que o único motivo para me teres trazido á vida, foi precisares de uma babysitter aqui no teu paláciozinho. Era suposto eu ser parte ativa contra o Stryker! – Urian cuspia o nome do homem que pensava ser seu pai com amargura.
– Por incrível que pareça, estou de acordo com Urian, nós vamos contigo! – Apontou Alexion.
– Não me façam repetir, não vão a lado nenhum. – Ash revirava os olhos exasperado.
– Achimou – Tory alcançou os braços de Acheron – Porque te negas a ser acompanhado por nós? Não achas que seria mais sensato ires com companhia?
– Sota, eu vou acompanhado, mas não por nenhum de vocês. Todos nesta sala querem a cabeça do Stryker, mas se alguém a arrancar, ele não vai poder dizer o que eu preciso de saber.
– Então quem vai ter a honra de ir passear contigo? – Perguntou Urian de forma irónica.
– Eu já fiz a minha escolha, a minha companhia está no Olimpo, vou ter com ele agora. Não vou mudar de ideias, Sota e Danger, controlem as coisas por aqui, por favor. – Dando um beijo á mulher e ao filho, Acheron disse á primeira. – Ficarei bem, não te preocupes comigo. – Dito isto, Ash desapareceu rumo ao Olimpo.

Sem comentários:

Enviar um comentário

DevRochester. Com tecnologia do Blogger.